História da motocicleta

A motocicleta ou simplesmente moto, é um veículo de duas rodas com tração traseira tendo um motor que proporciona à auto-locomoção desenvolvendo uma velocidade de cruzeiro com segurança e conforto. É um meio de transporte bastante utilizado devido ao mais baixo consumo de combustível e por ter um preço mais acessível que a maioria dos automóveis.

Além de um meio de transporte, a motocicleta vem sendo utilizada deste o seu invento por diversas áreas como desportos (Superbike, Motocross, Supermoto e Rali), lazer (Motoclube), utilitária (Motoboy) e como veículo militar.

Quando tudo começou?

Na época de sua invenção, os navios e locomotivas movidas a vapor já eram comuns, tanto na Europa e nos EUA, na França e na Inglaterra os ônibus a vapor já circulavam normalmente.

A motocicleta foi inventada, simultaneamente, por um americano e um francês. O curioso é que os dois homens nem sequer se conheciam e cada um pesquisava em seu próprio país. O norte-americano Sylvester Roper e o Francês Louis Perreaux, fabricaram um tipo de bicicleta equipada com motor a vapor em 1869. Na época, os navios e locomotivas já utilizavam o combustível, tanto na Europa como nos Estados Unidos. As experiências para adaptar um motor a vapor em veículos leves foram até 1920, ano em que foram abandonadas definitivamente.

O alemão Gottlieb Daimler foi quem realizou a façanha de adicionar um motor de combustão a   motocicleta, com  ajuda de Wilhelm Maybach, em 1885, instalando um motor a gasolina, leve e rápido, em uma bicicleta de madeira adaptada, com o objetivo de testar a praticidade do novo propulsor. O primeiro piloto de moto acionada por um motor, foi Paul Daimler, um garoto de 16 anos, filho de Gottlieb. Embora Daimler, tenha obtido um grande papel na elaboração da  máquina pioneira (motocicleta) ele não tinha intenção de fabricar veículos motorizados sobre duas rodas. O fato é que ele nunca mais construiu outra, dedicando-se exclusivamente ao setor automobilístico de quatro rodas.

Com essa façanha a invenção foi levada para as indústrias sendo assim realizado sua produção em escala industrial, a moto de  Daimler e Maybach, que funcionava pelo ciclo de Otto foi definido por Beau de Rochas e implementado  por Nikolaus Otto em 1876, e posteriormente por Étienne Lenoir e Rudolf Diesel, e tinha quatro tempos, dividindo a preferência com os motores de dois tempos, que eram menores, mais leves e tinham um custo menor.

Apenas no início do século XX os fabricantes chegaram a uma conclusão sobre o melhor local para se instalar o motor, ficando a parte interna do triângulo formado pelo quadro, adotada como norma sendo seguida até os dias de hoje. Antes desse período a posição do motor era um dos grandes problemas dos fabricantes de ciclomotores, pois não se tinha a definição do melhor local para instalar o motor. Como de início não houve um consenso, várias alternativas foram adotadas como: atrás do selim (banco), na frente do guidão, dentro ou sob o quadro da bicicleta, no cubo da roda dianteira ou da traseira.  Até hoje ainda existem exemplares de vários modelos.

A primeira fábrica

A primeira fábrica de motocicletas, foi construída em 1894, na Alemanha e se chamava Hildebrandt & Wolfmüller. Nos anos seguintes em 1895 e 1896 construíram as fábricas Stern, a Bougery, na França, e a Excelsior, na Inglaterra. No início do século XX a Europa possuía cerca de 43 fábricas espalhadas pelo seu território. Em 1910, existiam 394 empresas do ramo no mundo. A maior parte dessas instalações ficavam na Inglaterra num total de 208 empresas. A maioria fechou por não resistir a concorrência. Os Estados Unidos chegaram a possuir 20 empresas até 2010, suas primeiras fábricas Columbia, Orient e Minneapolis, foram construídas  em 1900.

Em busca de fornecer melhores motos para o mercado, os fabricantes do mundo inteiro começaram a introduzir inovações e aperfeiçoamentos, cada um deles tentando ser mais original. Estavam disponíveis motores de um a cinco cilindros, de dois a quatro tempos. A fábrica alemã NSU aperfeiçoou, em 1914, a suspensão traseira do tipo monochoque (usado até hoje). A Minneapollis inventou um sistema de suspensão dianteira que se generalizou na década de 50 e continua sendo usada, hoje mais aperfeiçoada. As suspensões foram aperfeiçoadas para oferecer maior conforto e segurança.

A moto mais confortável existente em 1914 e durante toda a década era a Indian de 998cm3 que possuía braços oscilantes na suspensão traseira e partida elétrica, um requinte que só foi adotado pelas outras marcas após vários anos. Em 1923 a motocicleta inglesa Douglas já utilizava os freios a disco em provas de velocidade.

Porém, foram nos motores as maiores evoluções, a tecnologia alcançou níveis jamais imaginados. Apenas como comparação, seriam necessários mais de 260 motores iguais ao da primeira motocicleta para se obter uma potência equivalente a uma moto moderna de mil cilindradas. Após a Segunda Grande Guerra, observou-se a invasão progressiva das máquinas japonesas no mercado mundial, fabricando motos com alta tecnologia, design moderno, motor potente e leve, confortáveis e baratas, o Japão causou o fechamento de fábricas no mundo inteiro. Nos EUA só restou a tradicional Harley-Davidson. Mas hoje o mercado está equilibrado.